Tem humidade em casa?

Paredes húmidas, com bolor e manchas negras… Infelizmente, esta é a história da casa de muitos de nós! A humidade é, sem dúvida, um problema difícil de resolver. Temos de intervir logo desde o início e não deixar a situação perdurar. As habitações podem ser novas ou velhas, a humidade nas paredes é uma realidade e neste artigo vamos ajudá-lo a saber como pode atuar.

Não há dúvidas! Problemas com humidade podem transformar a nossa casa de sonho num verdadeiro pesadelo. Para além de ser uma ameaça para a saúde de todos, vai contribuir para uma degradação acelerada das infraestruturas e será uma fonte de despesas. Como podemos declarar guerra à humidade? Conhecendo as suas causas e, tal como se costuma dizer em bom português, “atacar o mal pela raiz”. Foquemos algumas questões que se levantam neste contexto e já lá vamos às soluções.

Os perigos para a sua saúde

Esta é a primeira abordagem que deve ser feita. Os níveis excessivos ou deficitários da humidade podem ter riscos para a saúde das pessoas. Humidificar e, no caso da temática deste artigo, desumidificar tem consequências no seu bem-estar físico e, consequentemente, psicológico. Assim, fique atento porque há um aumento da probabilidade de aparecimento e agravamento de doenças:

  • O excesso de humidade pode ser responsável pelo aparecimento de doenças do trato respiratório, como a asma, a sinusite, infeções pulmonares e bronquite. Por outro lado, podem surgir calafrios, cansaço extremo, pés frios e dores de cabeça. E se já tiver problemas de reumatismo, tenha cuidado, porque estes podem agravar-se. A humidade, juntamente com o frio, pode provocar ainda mais dores nos ossos, músculos e articulações;
  • No inverno, quando as pessoas não abrem portas e janelas e “prendem” a humidade no interior das casas, estão reunidas todas as condições para aparecer o bolor. Biologicamente, o bolor – ou mofo – é um fungo multicelular que forma uma rede filamentosa, o micélio, que por sua vez é composto de filamentos individuais, as hifas. Estas produzem os esporângios, onde se encontram os esporos que são responsáveis pela reprodução do fungo. Há evidências mais do que suficientes que relacionam a exposição continuada a bolores com problemas respiratórios como tosse e asma;
  • Na maioria dos casos, humidade nas paredes significa também propiciar um ótimo habitat para ácaros e bactérias. Como sabemos, as alergias estão intimamente relacionadas com ácaros e se pensarmos nos bebés e nos idosos, estas podem estar na origem de problemas graves de saúde.

Sem querer fazer grandes alarmismos, por favor, é tempo de começar a dar luta à terrível humidade! Recorra ao profissionalismo dos especialistas na matéria e pense em adquirir um bom desumidificador!

Tipos de humidade

Podemos diferenciar os tipos de excesso humidade de acordo com a sua origem. Sem diferenciação estão as consequências, afetando a própria infraestrutura desde o interior, passando para os tetos e paredes – desde a estuque e tinta estragados, descascados, estalados e manchados, a mobiliário deteriorado, roupa danificada e, mais grave, a saúde debilitada.

Existem 3 tipos de humidade:

Humidade por condensação – o excesso de humidade no ambiente é a origem dos problemas de humidade por condensação. As atividades do quotidiano como tomar duche, cozinhar, secar roupa dentro de casa e até respirar, se não forem acompanhadas da adequada ventilação, produzem condensação.

Humidade por capilaridade – Este tipo de humidade é consequência da subida da água por pequenos canos ou capilares. Isto acontece sobretudo pelo deficiente isolamento do chão e base das paredes. A água passa do solo e vai subindo pelo pavimento e pelas paredes, podendo atingir até 1,5m, causando salitre, manchas e danos nos revestimentos.

Humidade por infiltrações – As fugas nas canalizações são as principais responsáveis, se estamos a falar na origem interior. Este é um exemplo de como a durabilidade e qualidade dos materiais são de extrema importância. O mesmo se aplica ao revestimento, já que podem haver infiltrações vindas de fora, à medida que a água presente na terra exterior se infiltra lateralmente para o interior.

Em todos os casos, um desumidificador pode ajudá-lo a conseguir manter os níveis de humidade equilibrados. E por falar disso, nunca é demais lembrar:


  – Abaixo de 40% HR: o ar está seco em excesso. No exterior, evite exercícios físicos entre as 11 e as 15 horas, permaneça em locais protegidos do sol, em especial em zonas com vegetação. Evite sempre aglomerações em ambientes fechados, beba água e, em casa, use o humidificador! – De 50% a 60% HR: o ar está confortável e saudável. Com o nível de humidade relativa correto, o ar torna-se mais leve, mais fácil de ser respirado. – Acima de 60% HR: o ar está húmido em excesso.  

Boas práticas para um ambiente sem humidade excessiva

Para além da excelente ajuda do desumidificador, com as atitudes certas consegue diminuir o vapor de água em sua casa:

  • Usar menos água quente;
  • Ao cozinhar, não se esqueça de tapar as panelas o mais possível e ter sempre o exaustor ligado;
  • Evite secar a roupa no interior das divisões. Caso o faça, aqueça a divisão e ventile-a adequadamente;
  • Areje e ventile bem as divisões. Abrir as janelas das assoalhadas apenas 15 minutos por dia já é uma ótima prática;
  • Utilize os recipientes de recolha de humidade nos roupeiros e armários;
  • Evite o uso de aquecedores de gás engarrafado;
  • Certifique-se de que sua casa está bem isolada.

O melhor desumidificador

Tudo vai depender do que realmente precisa e do seu orçamento. Mas existem características que podem ajudá-lo a escolher um bom equipamento:

  • Baixo nível de ruído;
  • Boa capacidade de recolha de água;
  • Depósito com boa capacidade;
  • Bom filtro de ar;
  • Diferentes velocidades do ventilador;
  • Sensor de gelo;
  • Higrómetro;
  • Temporizador;
  • Rodas.

A Megaclima tem vários modelos que podem ser o seu futuro desumidificador. Qua é a marca que tem em mente?  Trotec, Parkoo, Haice, Daitsu.… Visite a nossa montra online e depois contacte-nos! Asseguramos um serviço pós-venda em garantia, prestado por profissionais competentes e qualificados. Ligue-nos para o número 219 253 300, envie-nos um email para geral@megaclima.pt ou preencha os nossos formulários online. Até já!