Qual a melhor temperatura para dormir?

Eis uma questão que muitas vezes surge em conversa e que pode, obviamente, variar muito de pessoa para pessoa. Todavia, existe um intervalo de valores de temperatura para dormir onde a maioria de nós se enquadra. Mas, já lá vamos. Foquemo-nos, por agora, na importância de dormir bem para um bom metabolismo, uma vida equilibrada, um envelhecer saudável.

A importância do sono

Há uma crescente divulgação de informação sobre a importância do sono e das doenças relacionadas com a falta do mesmo. Mas a verdade é que a maioria dos portugueses não tem os corretos hábitos de higiene do sono. Na realidade, uma boa noite de descanso deve ter a mesma importância do que uma alimentação saudável ou a prática de exercício físico regular. Conseguir uma adequada temperatura para dormir é apenas um dos aspetos de uma lista que deve ter em conta.

As regras para uma boa higiene do sono

Conseguir uma rotina correta que garanta qualidade de sono depende muitas vezes de si. Por isso, siga alguns dos conselhos dos especialistas:

– Estabeleça um horário regular para dormir e acordar, mesmo ao fim de semana;

– Fazer sestas não é proibido, todavia não devem exceder os 45 minutos de sono durante o dia;

– Evite a ingestão excessiva de álcool quatro horas antes de dormir e não fume;

– Evite o consumo de cafeína seis horas antes de dormir. Isto inclui café, chá e vários refrigerantes, bem como o chocolate; 

– Ao jantar, prefira uma refeição ligeira. Comidas pesadas, picantes ou doces, antes de dormir vão afetar o seu descanso;

– Exercite-se diariamente, mas opte por fazê-lo várias horas antes de se deitar;

– É importante dormir num colchão e com almofadas confortáveis. O mesmo se aplica à roupa de cama e à sua roupa de descanso;

– Desligue todos os aparelhos eletrónicos antes de dormir;

– Garanta condições ideais de ruído e luz;

– É essencial ter o quarto bem ventilado e com a temperatura ideal para dormir.

A temperatura ideal para dormir

De um ponto vista mais abrangente, devemos criar um bom ambiente para dormir. Isso implica ter um quarto ventilado, com uma boa circulação de ar e com o teor de humidade nos níveis certos e em sintonia com a temperatura ideal. Conseguir a temperatura perfeita pode ser algo subjetivo. As necessidades individuais e pessoais de calor e frio diferem bastante. Sabia, por exemplo, que as mulheres geralmente preferem uma temperatura mais quente do que os homens? No entanto, o quarto não deve ser aquecido demais. Mucosas nasais muito secas pode ser o resultado de um ambiente muito quente. Da mesma forma, um quarto muito frio não vai permitir que o corpo relaxe. Especialistas situam a temperatura ideal de sono entre os 15ºC e os 20ºC. Dormir num quarto com a temperatura superior a 21ºC faz com que o corpo deixe de libertar melatonina, uma das hormonas mais eficazes na indução do sono. A melatonina é libertada em maior quantidade quando a nossa temperatura começa a baixar e quando estamos a dormir em plena escuridão.

Certamente que vai conseguir a temperatura ideal para dormir com um equipamento de ar condicionado!

Dormir com o ar condicionado ligado

Dormir com o ar condicionado ligado pode maximizar a sua qualidade de sono. Não há dúvidas! Acordar com frio ou calor deixa já não entram no cenário. Basta adquirir um ar condicionado para as suas noites passarem a ser, pelo menos, mais confortáveis. A maioria dos modelos lançados no mercado já possuem a função Sleep que ajuda a preparar o corpo para dormir e a manter o seu sono.

Função Sleep do ar condicionado

Numa noite quente, o que acontece é que esta função permite baixar a temperatura inicialmente numa temperatura favorável para descansar. Depois, de maneira gradual, aumenta a temperatura para relaxar o corpo e ajudar o utilizador a ter um sono profundo. Por fim, a temperatura mantém-se para que, ao acordar, se sinta revitalizado. Assim, esta funcionalidade surge porque, durante o sono o metabolismo do corpo humano desacelera e muitas pessoas acordam com o frio ou calor. A função “Dormir” (Sleep) diminui o consumo de energia, modificando a temperatura de modo a exigir menor esforço para arrefecer ou aquecer o ambiente. O consumo de energia pode diminuir substancialmente, na ordem dos 30%.

E não podemos esquecer que dormir bem é também fazê-lo durante um determinado número de horas.

As corretas horas de sono

No âmbito do dia mundial do sono, que se assinalou a 15 de março, fez-se um estudo com 653 adultos inquiridos. 46% revelaram dormir menos de 6 horas por dia e 21% disseram levar mais de 30 minutos a adormecer. Especialistas alertam para os riscos da falta de sono para a saúde. Um adulto deve dormir, pelo menos, sete horas. Para um jovem adulto, por outro lado, pode ser necessário dormir mais, até mais de nove horas. Veja abaixo as horas de sono ideais, de acordo com a idade:

– Recém-nascidos (0-3 meses): o ideal é dormir entre 14 e 17 horas por dia. Não é aconselhável dormir mais de 18 horas.

– Bebés (4-11 meses): Recomenda-se um sono entre as 12 e 15 horas, não mais do que 16 horas.

– Crianças pequenas (1-2 anos): É recomendável que o descanso dure entre 11 e 14 horas.

– Crianças em idade pré-escolar (3-5 anos): 10-13 horas é o mais apropriado. Especialistas não recomendam dormir menos de 7 horas.

– Crianças em idade escolar (6-13 anos): o aconselhável é dormir entre 9 e 11 horas.

– Adolescentes (14-17): Devem dormir à volta de 10 horas por dia.

– Adultos jovens (18-25): 7-9 horas por dia. Não devem dormir menos de 6 horas ou mais do que 10 ou 11 horas.

– Adultos (26-64): O ideal é dormir entre 7 e 9 horas, embora muitos não consigam.

– Idosos (65 anos ou mais): o mais saudável é dormir 7 a 8 horas por dia.

A Megaclima dispõe de uma montra variada de equipamentos de climatização que podem ajudá-lo na “missão” de dormir bem! Desde ares condicionados murais, até às consolas teto/chão, sem esquecer os modelos cassete… A oferta é vasta! Ligue-nos para o número 219 253 300, envie-nos um email para geral@megaclima.pt ou preencha os nossos formulários online, para receber uma proposta rápida e detalhada.  

Compartilhe o nosso artigo