É uma casa eficiente com certeza!

Ser eficiente é estar na moda e a moda nunca esteve tão bem!

É a lógica do século XXI, a da sustentabilidade e da ecologia, é ter consciência da finitude de recursos e atuar como agente principal da mudança. Na agenda internacional estão objetivos que querem mudar o curso dos acontecimentos no que toca às alterações climáticas. O que cada um de nós pode fazer? Muito! E que tal ter uma casa energeticamente eficiente?

Fazer reciclagem, poluir o menos possível, poupar eletricidade, entre muitas outras estratégias… Há coisas que estão efetivamente ao contrário da ecologia e todos teremos que compreender a urgência e querer mudar a sério! Comecemos nos nossos núcleos mais próximos, no trabalho e na nossa casa. Não precisamos de ser verdadeiros ativistas na frente da revolução. O que cada um fizer pode ser muito, desde que em comunhão.

Um esforço mundial – Agenda 2030

Já tivemos a oportunidade de falar aqui da Agenda 2030, aquando da notícia da nova etiqueta energética. Desde 2015 que são medidos os objetivos de um desejado e promissor desenvolvimento sustentável – 17 passos no caminho para o melhor dos povos e do nosso maior bem comum que é o planeta. Vamos então enumerá-los:

  1. Erradicar a pobreza
  2. Erradicar a fome
  3. Saúde de qualidade
  4. Educação de qualidade
  5. Igualdade de género
  6. Água potável e saneamento
  7. Energias renováveis e acessíveis
  8. Trabalho digno e crescimento económico
  9. Indústria, inovação e infraestruturas
  10. Reduzir as desigualdades
  11. Cidades e comunidades sustentáveis
  12. Produção e consumo sustentáveis
  13. Ação climática
  14. Proteger a vida marinha
  15. Proteger a vida terrestre
  16. Paz, justiça e instituições eficazes
  17. Parcerias para a implementação dos objetivos

A eficiência energética norteia muito destes objetivos. Todos sabemos que a escassez de recursos está, cada vez mais, em cima da mesa. Reduzir, reutilizar e remodelar está ao alcance de qualquer um e faz toda a diferença!

Eficiência Energética dos Edifícios

Primeiro que tudo: o que é um edifício energeticamente eficiente? Respondendo sumariamente, é aquele que, em todas as suas fases, desde a construção até à habitação ou frequência, é projetado para maximizar de modo positivo as características da sua localização (clima, sol, vento, humidade, temperatura, altitude, características do terreno, vegetação, recursos). Criando uma sintonia entre os materiais utilizados e as técnicas de construção, um edifício energeticamente eficiente alcança facilmente os níveis de conforto com um baixo consumo de energia.

Desde 1 de julho deste ano que a eficiência energética dos edifícios tem novas regras. Segundo o Decreto-Lei n.º 101-D/2020, estabelecem-se“os requisitos aplicáveis à conceção e renovação de edifícios com o objetivo de assegurar e promover a melhoria do respetivo desempenho energético e regula-se o Sistema de Certificação Energética dos Edifícios (SCE), transpondo para o ordenamento jurídico nacional as novas diretivas europeias.”

Sabia que?

Os edifícios são responsáveis por 36% das emissões totais de gases de efeito de estufa e por 40% dos consumos energéticos da União Europeia. Agora, imagine o potencial desta reestruturação!

Algumas mudanças:

  • Sistemas técnicos dos edifícios
  • Obrigação ao cumprimento de requisitos de eficiência
  • Avaliações periódicas e monitorização de consumos energéticos de edifícios
  • Instalação de sistemas de automatização e controlo do edifício (SACE)
  • Instalação de pontos de carregamento de veículos elétricos nos parques de estacionamento

A minha casa é energeticamente eficiente?

É importante fazer esta pergunta. Um exercício pessoal que pode levar a grandes conquistas no contexto da poupança e da sustentabilidade. Mesmo que não consigamos fazer da nossa casa uma fonte de energias renováveis, é essencial que diminuamos o consumo energético.

Faça o rácio entre a quantidade de energia usada numa atividade e a energia que tem para gastar. Se não despender de tudo, a isso chama-se eficiência energética. A exposição solar, os materiais escolhidos, a própria infraestrutura são aspetos que se deve ter em linha de conta, sobretudo se está a comprar ou a construir uma habitação.

Não se esqueça de que ao reduzir o consumo de energia elétrica está a diminuir a emissão de gases efeito estufa e, consequentemente, a contribuir para a evitar um avanço no aquecimento global. Não quer ter um papel nesta matéria?

Dicas para uma casa eficiente

Seguindo a máxima de que uma casa eficiente é aquela que satisfaz as suas necessidades conseguindo poupar energia, siga algumas dicas que descrevemos abaixo:

  • Aproveite a orientação solar da sua casa

Uma casa fresca no verão e quente no inverno significa que vai poupar energia no funcionamento do seu sistema de climatização. Por exemplo, uma casa orientada a sul é ideal ter janelas grandes onde o sol pode aquecer os dias mais frios. No verão, faça uso dos estores em sintonia com o ar condicionado. Assim, também mantém a frescura durante mais tempo!

  • Certifique-se de que a sua casa está bem isolada

Reter o calor do seu sistema de aquecimento e evitar que a casa sobreaqueça no verão. Não há nada melhor do que um bom isolamento! Pela cobertura de uma casa perde-se, em média, 30% do calor, paredes e portas têm cerca de 35% de perdas e as janelas 20%. 

  • Climatização eficiente

Investir em equipamentos cujo desempenho se traduz numa elevada eficiência energética, como um ar condicionado Classe A, é certamente a solução. Considere que a compra de um ar condicionado deve ser bem acompanhada. Por exemplo, determinar a potência adequada é de extrema importância. Faça um correto cálculo térmico! E não se esqueça de que a atenção para com a etiqueta energética se aplica a todos os seus eletrodomésticos!

  • Lâmpadas LED

Muito mais eficientes e duradouras, as lâmpadas LED permitem-lhe poupar energia e têm uma vida útil maior face às lâmpadas tradicionais. Podem durar até 30.000 horas! E nunca se esqueça de desligar a luz se não precisar.

  • Sem equipamentos em Stand-By

Existem eletrodomésticos que podem ter uma potência unitária pequena, como a TV, mas muitas vezes estão ligados constantemente. Se optar por ligar estes equipamentos a uma tomada única com várias entradas e com botão ON/OFF, ao desligar o botão, vai conseguir evitar os consumos que podem representar cerca de 9% de uma fatura de eletricidade.

A Megaclima está comprometida para com os objetivos de sustentabilidade, não só nos equipamentos que vende, mas durante todo o processo de instalação e assistência. Quer saber mais? Ligue-nos para o número 219 253 300, envie-nos um email para geral@megaclima.pt ou preencha os nossos formulários online.