Descontos até 35% - Empresa certificada. Profissionais especializados há 25 anos.

Desumificador Doméstico

Avalie na sua compra, a existência de serviço pós-venda.

Aproveite a segurança e competência da Megaclima com equipas técnicas específicas para assistência pós-venda.
Preçário
»» Clique abaixo para ver o preço

Certificação e qualidade técnica

A Megaclima não delega serviços técnicos em terceiros. Os quadros técnicos são de longevidade na empresa, têm formação contínua, são certificados pelo ministério do ambiente e possuem um nível de competência e educação acima da média.
Preços do desumidificador doméstico na Megaclima
Um desumidificador doméstico é um aparelho utilizado para retirar humidade do ar e é necessário sempre que a humidade relativa do ar sobe acima dos 60%. Isto porque quanto a humidade relativa de um determinado ambiente está próxima de 90% (muito alta), dá-se o risco da formação de bolor e da propagação de bactérias.

Como a humidade criada pelos banhos, na cozinha, pelas plantas e pelas pessoas não é eliminada, é preciso recorrer a um desumidificador de ar. O desumidificador doméstico vai controlar a humidade do ambiente, evitando as paredes húmidas, a corrosão e a ferrugem.

Além disso, o desumidificador doméstico ajuda a conservar os objetos existentes numa habitação, como quadros, peles, roupas, documentos, aparelhos de som, equipamento fotográfico, instrumentos de precisão e móveis, entre outros. Ao proteger todos estes objetos de eventuais danos provocados pela humidade, o desumidificador doméstico proporciona bem-estar e conforto, permitindo um ambiente equilibrado e livre das tão indesejadas características provocadas pela humidade
Porque é necessário desumidificar o ar de um ambiente?
A taxa de humidade representa a quantidade de água existente no ar. Se estiver entre 35% e 40%, significa que o ar está seco e, quando acima dos 70%, o ar está húmido. Nestas situações, o ar é prejudicial para a saúde, os equipamentos e os materiais. É então necessário recorrer a um desumidificador doméstico.

Quando o ar não está a níveis satisfatórios, gera-se a formação de mofo e de fungos, entre outros, o que facilita o aparecimento de organismos microscópicos, como ácaros, que afetam, de forma direta, a saúde humana. E, só por isso, é necessário introduzir na habitação um desumidificador doméstico.

A forma ideal de acabar com estes pequenos organismos, como os ácaros, mofo, fungos e outros é evitar o seu desenvolvimento, mantendo a humidade relativa em níveis de 40% a 60%.

Valores óptimos de humidade relativa em casa 40% a 60%

Qual a importância da taxa de humidade relativa do ar?
A taxa de humidade relativa do ar (%HR) representa a quantidade de vapor de água no ar e é medida com um higrómetro. As condições ideais da humidade relativa do ar estão entre os 40% e os 60%. Abaixo dos 40% HR, o ar está excessivamente seco e é necessário utilizar um Humidificador doméstico.

Entre os 40% e os 60% HR, o ar está confortável e saudável para a habitação e os seus ocupantes e acima dos 60% HR o ar está húmido em excesso, pelo que é aconselhável recorrer a um desumidificador doméstico.

Não existem muitos websites informativos sobre o desumidificador doméstico.No entanto, a página web da Megaclima tem bastante informação, que pode consultar para começar a fazer a escolha do seu aparelho desumidificador de ar. Mas, o melhor mesmo é falar com um especialista em aparelhos de ar condicionado e desumidificadores domésticos.

Ligue-nos já 219 253 300 ou envie email para geral@megaclima.pt.

Saiba mais sobre: Ácaros e Fungos

Fungos

Os fungos podem ser encontrados em praticamente qualquer ambiente, onde participam de maneira muito importante na degradação de matéria orgânica animal e vegetal. São também responsáveis por diversas doenças nas plantas e podem destruir alimentos e materiais como madeiras e tecidos. Os fungos têm grande relevância para a medicina, pois algumas espécies produzem substâncias como antibióticos, esteroides, ácidos orgânicos, etc. Também têm grande valor para a indústria alimentícia, não só alguns deles são comestíveis como agem como fermentadores de alimentos como vinho, cerveja, pão, queijo, etc. Os fungos não precisam de parasitar no homem para sobreviverem, apenas algumas espécies atacam o organismo humano causando, em geral, micoses, intoxicações ou envenenamentos.

Ascomicetos


Aspergillus sp.

Penicillium sp.

Ascomicetos são fungos da subdivisão Ascomycotina. São assim chamados porque no processo de reprodução sexuada (também existe assexuada) formam sacos, conhecidos no meio científico como ascos (daí a origem do nome), que depois se transformam em esporos. Nas duas imagens, duas espécies de ascomicetos. A da esquerda pertence ao género Aspergillus, agentes oportunistas que se podem desenvolver em pessoas com baixa resistência imunológica (como doentes com leucemia ou sida), causando a aspergilose, doença caracterizada por micoses que geram lesões nos ouvidos, pele, pulmões ossos e meninges. Já a da direita pertence ao género Penicillium, responsáveis pela produção da penicilina, substância antibiótica responsável por uma revolução médica após os anos 40.

Fonte: Dicionário de termos médicos e saúde, de Luís Rey

Ácaros


Ácaro doméstico (Dermatophagoides pteronyssinus)

Espécies

Existem várias famílias, sendo as mais importantes a dos Pyroglyphidae (ácaros domésticos) e a dos Tyroglyphidae (ácaros de armazenamento). As principais espécies da primeira família são a Dermatophagoides pteronyssinus, Dermatophagoides farinae e o Euroglyphus maynei. As mais frequentes da segunda família são Acarus siro, Glyciphagus domesticus, Tyrophagus putrescentiae e Lepidoglyphus destructor. Em climas quentes, encontra-se a Blomia tropicalis.

Habitat e reprodução

Nas habitações, os ácaros alimentam-se de escamas de pele humana e de animais. Por dia, o homem perde 1g destes pedaços de pele. Os ácaros abundam nos colchões, mantas de lã, almofadas de penas, tapetes, alcatifas, sofás e bonecos de peluche, desenvolvendo-se em condições ótimas de humidade superior a 70 a 80% e de temperatura superior a 20ºC. Em altitudes superiores a 1200 m, os ácaros deixam de ter boas condições de vida. Por este motivo, a estadia em regiões montanhosas pode conduzir ao alívio de certas alergias. Vivem 2 a 3 meses, durante os quais acasalam 1 a 2 vezes, dando origem a uma postura de 20 a 40 ovos. Os períodos mais propícios para o acasalamento são a primavera e o outono.

Alergologia

Os excrementos dos ácaros e os ácaros mortos dispersam-se em poeira fina, sendo inalados e podendo provocar alergias.

Os alergénios dos ácaros são bem conhecidos. Os antigénios major são Der p1 (D. pteronyssinus), Der f1 (D. farinae) e Eur m1 (Euroglyphus maynei).

Para que se dê a sensibilização aos ácaros é necessária uma taxa de antigénio Der p1 superior ou igual a 2 micra por grama de pó doméstico. Calcula-se que a prevalência da sensibilização aos ácaros na população geral seja de cerca de 10 a 20%. São os responsáveis pela maioria dos casos de rinite e asma alérgica perene, tendo também um papel importante na dermite atópica. Têm sido descritos alguns casos raros de anafilaxia após ingestão de alimentos contaminados por grandes quantidades de D. farinae (farinha, pizzas, peixe e legumes, entre outros).

Prevenção

As medidas preventivas de remoção de ácaros domésticos reduzem os sintomas clínicos e são o primeiro passo no tratamento de doentes alérgicos aos ácaros. Destas medidas fazem parte:

  • arejamento diário dos quartos;
  • exposição ao ar e ao sol dos colchões, edredons e almofadas;
  • lavagem frequente a 60ºC dos colchões, edredons e almofadas;
  • aspiração regular e frequente dos colchões e tapetes com aspiradores munidos de filtros HEPA;
  • tratamento de colchões e tapetes com acaricidas;
  • utilização de coberturas antiácaros em poliuretano nos colchões, edredons e almofadas;
  • higiene cuidada dos animais domésticos;
  • remoção de alcatifas;
  • lavagem semanal dos bonecos de peluche;
  • manutenção de uma atmosfera seca no interior das habitações (humidade relativa entre 40 e 60 % e temperatura entre 19 e 21ºC);
  • controlo das medidas de remoção com o Acarext test (R), o qual estima o número de ácaros existentes.

A imunoterapia específica com vacinas está indicada nos doentes sensibilizados quando os sintomas clínicos não são controlados com a remoção e com o tratamento farmacológico dos sintomas.

Acaricidas

Acaricidas são substâncias químicas, não tóxicas para o homem, com capacidade para eliminar os ácaros domésticos.

Em Portugal, existem vários produtos acaricidas para o tratamento de alcatifas, tapetes, colchões, sofás e outros produtos têxteis, como o Acarosan (R) (benzoato de benzilo), Allersearch (R) ou NK neutro (R) (ácido tânico).

Contacte-nos

Contacte-nos através do nosso formulário. Para sua comodidade receberá cópia no seu email.

Enviar Formulário

Quer uma proposta rápida e detalhada ?

Quer uma proposta rápida e detalhada?

CLIQUE AQUI